Início » Livroterapia » LIVROTERAPIA – Na sua pele, Homens Marcados #1, de Jay Crownover – @VREditorasBR

LIVROTERAPIA – Na sua pele, Homens Marcados #1, de Jay Crownover – @VREditorasBR

Quando o tatuador Rule Archer passa, todos os olhares se voltam para ele. O cara é alto, tem o corpo todo desenhado e penetrantes olhos azuis capazes de fazer qualquer garota suspirar. Rule não segue regras. Rule não namora. Ele é do tipo que passa cada noite com uma mulher diferente… um perfeito bad boy.

A estudante de medicina Shaw Landon é linda, rica e estudiosa. Ela sempre segue as regras. É o tipo de garota que namora alguém escolhido pelos pais. Mas não é isso o que ela quer. Tudo o que Shaw sempre deseja e sempre desejou é ter Rule Archer. Apesar de se conhecerem há muito tempo, o bad boy nunca havia reparado naquela menina perfeita. Quase ninguém poderia imaginar que os dois formariam um casal.

Rule e Shaw são opostos perfeitos. E um relacionamento entre os dois tem tudo para ser explosivo. Na sua pele vai enlouquecer você. Uma história de amor improvável, muitas reviravoltas e cenas picantes. Esse livro marcará você como nenhum outro.

.

Onde comprar: AmazonBuscapé

Resenha

Vamos falar um pouco sobre a capa primeiro. Na época em que o livro foi lançado, muita gente ficou insatisfeita pela editora ter mudado a capa. Eu particularmente gostei porque só achava bonita a capa do primeiro livro, Rule. As dos outros eu acho feinha. :/ E a V&R vem mantendo esse padrão de ter um casal na capa e o título condizente com a história. Então, quero mais é ter todos esses fofos na minha estante! ❤

Bom, esse livro já é meu amorzinho há muito tempo e fiquei superfeliz pela V&R o estar publicando, principalmente porque os livros estão saindo bem rápido. Já há três lançados (Na sua pele, Notas quentes, Armas da sedução); o quarto foi divulgada a capa (Chamas do passado, livro do Nash) e sairá em maio; o quinto (Rowdy) e o sexto (Asa, o último), esses ainda sem nome, saem em julho e outubro, respectivamente. Haaaaaaaja coração, hein? 😀

Na sua pele não é só mais um romance de mocinho tatuado e mocinha apaixonada (nada contra, mesmo porque amo essa temática), mas aqui vamos começar a acompanhar a vida desse grupo de amigos e a descoberta do amor para cada um. Nesse processo, segredos capazes de abalar relações e desestruturar famílias já desajustadas virão à tona, ex-namorados perseguidores não darão trégua e o perdão será conquistado, além de nosso casal, que aparentemente não tem nada a ver um com o outro e se odeiam, descobrirão o amor juntos.

Quem olha-os superficialmente vai achar que Rule é o típico bad boy problemático e Shaw, a mocinha rica e certinha. E, ah, como é bom ver as camadas sendo retiradas e a libertação deles para quem realmente desejam ser, desfazendo as amarras da sociedade e do preconceito que teimam em querer ditar quem eles devem ser. Isso é o bom da vida, não é mesmo? Não estamos fadados a sermos o que querem de nós ou como nos julgam. Podemos ser sempre melhores! 😉

Falando um pouco sobre o enredo, o livro conta a história de Rule e Shaw. Ficamos sabendo que Rule tinha um irmão gêmeo, Remy, que era o melhor amigo da Shaw e estava sempre a apoiando. A vida dela está longe de ser perfeita. Seus pais separados não têm a menor vocação para serem pais. Amorosos, então, nem pensar! Para eles, Shaw nada mais é do que alguém para manipular e fazer bonito na sociedade. Remy morreu há três anos, em um acidente de carro quando ia pegar Rule, que estava bêbado, e deixou vários segredos que cairão como uma bomba na família. Já Rule se culpa (sua mãe também o culpa) pela morte do irmão e isso faz com que ele seja meio autodestrutivo. Sabe como é. Galinhando, bebendo, farreando. A questão é que o luto é algo difícil de se lidar por si só. Adicione a culpa e o fato de ele ser seu gêmeo e, bum, é a receita pra um desastre. Mas cada pessoa reage de um jeito. Infelizmente, algumas partem para a raiva e outros se fecham para o mundo, não deixando ninguém se aproximar o suficiente, entorpecendo a dor. 😥

Os meninos da família Archer nunca lidaram bem com surpresas.

Nesse meio-tempo em que Rule se afastou da família, eles acolheram de braços abertos a Shaw. Como Remy como melhor amigo, ela passou a fazer parte da família Archer. Naturalmente, todos achavam que ela e Remy eram namorados. Mas aí é que está: Shaw se apaixonou por Rule na primeira vez que o viu, embora tenha escondido o fato. Como “namorada” do Remy, é claro que seu amor não foi correspondido, e ela amargou ver durante anos diversas mulheres entrando e saindo de sua cama.

O fiozinho que ainda liga a família são os brunchs de domingo que a Shaw praticamente obriga o Rule a ir. São momentos muito tensos e que muitas vezes acabam em brigas. Essa insistência dela tem uma razão: ela acha que pode consertar essa família arruinada. Essa é uma característica dela (a sua família ela nem tenta mais, tadinha), mas mais do que isso, ela segue apaixonada por ele e acredita que bem no fundo há algo de bom nele. Por isso, ela aguenta ir à casa dele, muitas vezes encontrando seu caso da noite anterior, e levar o mal-humorado ao brunch. Essa é a sua luta para trazer à superfície o que ela acredita que resta de bom nele.

… E ela leva na boa toda essa sua grosseria e esse seu mau humor. E, pode acreditar, cara, esse tipo de coisa deixa qualquer um ficar de saco cheio rapidinho. Ela tá disposta a brigar com as duas únicas pessoas no mundo de quem já recebeu amor de pai e mãe porque quer que tratem você bem e parem de te culpar pela morte do Remy. E não tá fazendo isso pela Margot e pelo Dale, nem pelo Remy, com certeza. Você é única pessoa que ganha alguma coisa nessa. Por mais teimoso e egocêntrico que seja, você tem que se ligar nessa parada.

Há um terceiro filho, Rome, o mais velho (protagonista do terceiro livro), que volta do exército devido a um acidente. Ele se dá superbem com a Shaw, mas está mal, como é comum com quem volta dessas missões. 😦 Mas a sua volta é importante para fazer Rule repensar certas coisas que vêm acontecendo ao seu redor, como a forma como a Shaw age.

E ela vem aguentando, aguentando, até que… ela está bêbada em seu aniversário em um bar e encontra Rule. Cansada de ser uma “lady”, ela decide que o quer como seu presente de aniversário! 😮 Vendo o estado dela, ele a leva para a casa dele e, bom, hora de abrir o presente! 😀

Eu falei de um ex-namorado lá em cima, né? Gente, o típico mauricinho acostumado a ter tudo o que quer e ele quer a Shaw a qualquer custo, mas não pela pessoa que ela é, mas pelo que ela pode representar em sua carreira. 😡 Ela já deixou bem claro que não quer nada com ele, mas o interesse fala mais alto e ele está disposto a ir até as últimas consequências para tê-la de volta. Ele é tudo o que os pais dela desejam pra ela. Que pena pra eles que ela quer — e tem! — o nosso amado Rule. ❤

Aceitação, libertação, perdão, amor e amizade verdadeiros dão um tom especial à história. Nosso casal, à sua maneira, está perdido em suas dores e perdas. Quando se encontram, é como uma união de almas, algo que nem o maior segredo pode destruir… 😍 Há um crescimento a partir daí emocionante de se acompanhar. As amarras são arrebentadas e o passado, superado.

— A única diferença entre você e o Remy é que ele se permitia ser amado, e você… sempre fez questão de obrigar quem gosta de você a provar isso com todas as letras. Você nunca quis ser fácil de amar, Rule, e faz de tudo para deixar isso bem claro.

Eu era uma garota legal. Era leal e sincera, trabalhava duro e gastava muito tempo e energia construindo meu futuro. Não me metia em encrenca e fazia o possível e o impossível para tentar ser a filha perfeita e sofisticada que meus pais desejavam, e a mulher bem-sucedida e determinada que tinha aprendido a ser com a família Archer, que me ensinou a ter autoconfiança. Só não gastava muito tempo sendo a pessoa que realmente queria ser. Essa pessoa estava trancada em algum lugar nas profundezas do meu ser, com falta de ar e se apegando à esperança de que o Rule notasse que eu estava viva. Era muito cansativo ser assim e, nos meus momentos mais vulneráveis, quando era brutalmente sincera comigo mesma, tinha que admitir que não sabia por quanto tempo mais conseguiria aguentar.

É um choque, claro, pra família da Shaw que ela namore “alguém como Rule”, como se ser tatuado e ter piercings fosse um atestado de que a pessoa é marginal. Eles chegam ao ponto de ameaçá-la, mas o amor, ah, esse danadinho, ele fala mais alto. Juntos, eles conseguem finalmente enxergar que merecem ser amados exatamente como são. #AmoIsso

Claro que essa jornada terá muitos obstáculos, mas que coisa boa nessa vida não tem isso, né? Dá até um gostinho a mais conseguir vencer os desafios. 😉 Um deles é perceberem que não são tão diferentes assim. Sim, são opostos em muitas coisas, mas os opostos se atraem, certo? Tanto Rule quanto Shaw lutam para viver fora dos limites que os outros teimam em estabelecer para eles. Ambos têm profundos e dolorosos problemas paternais que aparentam não ter solução.😦 Isso tudo enquanto perseveram para serem reconhecidos por quem realmente são, independente dos dizeres e da opinião dos outros.

… fazia tudo isso trancado em uma bolha, e nenhuma das pessoas que amava o cara conseguia penetrar. Ele era frio e inacessível com a gente, mas de repente começaram a surgir umas rachaduras na bolha, e dava para ver o velho Rule. Aquela versão robô começou a ficar para trás, ele voltou a ser humano, e acho que isso tem tudo a ver com você.

Esse fogo sem fim que explode a cada vez que se encontram é o máximo! Há também bons momentos com os amigos e fofos entre o casal. No entanto, passa um tempo em que Rule acha que deve mudar para “merecer” a Shaw, sem perceber que não é isso que ela quer. Ela ama aquele Rule, com seus defeitos e virtudes, e não quem ele acha que ela quer que ele seja. Se já cortaram as amarras da opinião dos outros, pra que haver isso entre eles, certo? Mas ele demora um pouco a perceber isso. Coitado, viver tanto tempo na sombra do irmão perfeito acabou com a autoestima dele. :/

Os capítulos alternam o ponto de vista do casal, então, é bem gostoso ver como cada um reage às situações, principalmente no momento crucial quando ele fica em paz com o seu passado e entende sua antipatia inicial com ela.

Dá pra amar mais esse casal? Dá sim! Eles aparecerão lindos e fofos nos próximos livros! Own! ❤

Você se apaixonará por Rule mesmo que não queira. Portanto, não resista! Se jogue!

Eu sou seu, Shaw. Tô aqui pra o que você precisar. Sou seu de todos os jeitos que você quiser.

— Porque sempre te quis, mesmo quando não queria querer, até quando isso partia meu coração em mil pedaços. Sempre quis você.

Ai, ai, vou correr pra ler o segundo pra vir correndo contar pra vocês.

Anúncios

2 pensamentos sobre “LIVROTERAPIA – Na sua pele, Homens Marcados #1, de Jay Crownover – @VREditorasBR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s