Início » Novidades » NOVIDADE – Confira o primeiro capítulo de Bossman, de Vi Keeland

NOVIDADE – Confira o primeiro capítulo de Bossman, de Vi Keeland

E a segunda já começa maaaaara! É que a Vi Keeland fez a alegria dos fãs e liberou o primeiro capítulo do seu mais novo lançamento, Bossman, que sairá dia 18 desse mês. 😮 Oh, yeah! Vem conferir esse chefe que é babado!!! 😍😍😍

bossman cover

boss man coverNa primeira vez que encontrei Chase Parker, eu não causei exatamente uma boa impressão.

Eu estava me escondendo no corredor do banheiro de um restaurante, mandando uma mensagem para a minha melhor amiga me salvar do meu encontro horrível.

Ele ouviu e disse que eu era uma cadela, então começou a me oferecer alguns conselhos amorosos.

Então eu disse-lhe para cuidar da sua maldita vida — a maldita vida do alto, lindo e cheio-de-si cara — e voltei para o meu encontro miserável.

Quando passou pela minha mesa, ele sorriu, e eu vi seu arrogante e sexy traseiro caminhar de volta para seu encontro.

Eu não pude evitar de olhar sutilmente para o idiota condescendente do outro lado do ambiente. Claro, ele me pegou em mais de uma ocasião e piscou.

Quando o estranho lindo e seu encontro igualmente quente de repente apareceram em nossa mesa, eu pensei que ele ia me dedurar.

Mas, em vez disso, ele fingiu que nos conhecíamos e se juntou a nós, contando elaboradas histórias embaraçosas sobre a nossa falsa infância.

Meu encontro, de repente, foi de entendiante para bizarramente emocionante.

Quando acabou e nos separamos, pensei sobre ele mais do que eu jamais iria admitir, embora eu soubesse que nunca iria vê-lo novamente.

Quer dizer, quais eram as chances de eu esbarrar com ele novamente em uma cidade com oito milhões de pessoas?

Mas, então…

Quais eram as chances de um mês depois ele acabar sendo meu novo chefe sexy?

.

Onde comprar: Amazon – iBooks

👔

Babei nessa capa desde a primeira vez que a vi!

Mas vamos ao que interessa, né? O capítulo está em inglês e fizemos uma tradução não profissional, apenas para uso aqui no blog, ok? Então, desculpem os erros, mas foi feita com muito carinho. Torço para que alguma editora adquira logo ChaseLindo e o traga pra gente. #puppyface

Para ler o original em inglês, clique aqui.

Reese

Que desperdício de pernas raspadas.

— Jules? É Reese. Onde diabos você está? Eu preciso de você. Este é o pior encontro em que já estive. Eu estou literalmente adormecendo. Considerei bater a cabeça sobre a mesa algumas vezes para manter-me acordada. A menos que me queira ensanguentada e machucada, eu preciso que você me ligue com uma falsa emergência. Me ligue de volta. Por favor. — Encerrando a ligação, soltei um suspiro frustrado quando saí do banheiro feminino para o corredor escuro na parte de trás do restaurante.

Uma voz profunda atrás de mim me pegou desprevenida.

— A não ser que ele também seja um idiota, além de ser chato, ele vai sacar.

— Desculpe-me? — Virei-me para encontrar um homem encostado na parede, com os olhos direcionados para baixo enquanto mandava uma mensagem em seu telefone. Ele continuou sem olhar para cima.

— É o truque mais velho do mundo… o telefonema de emergência. O mínimo que você pode fazer é colocar um pouco mais de esforço. Ele levou dois meses para conseguir uma reserva neste lugar, e não é barato, querida.

— Talvez ele é quem devesse se esforçar mais. Sua jaqueta esportiva tem um buraco gigante debaixo do braço, e ele não fez nada, exceto falar sobre a mãe durante toda a noite.

— Alguma vez considerou que a sua atitude esnobe o deixa nervoso?

Meus olhos quase saltaram para fora da minha cabeça.

— Você quer falar sobre esnobe? Você escutou minha chamada e me deu suas opiniões indesejáveis enquanto olhava para o seu telefone. Você ainda não fez contato visual comigo enquanto está falando.

Os dedos do idiota congelaram do meio do texto. Então eu observei quando sua cabeça levantou, os olhos seguindo um caminho vagaroso, começando em meus tornozelos, ao longo das minhas pernas nuas e parando na bainha da minha saia antes de continuar a traçar o seu caminho em meus quadris, descansando brevemente nos meus seios antes finalmente chegar ao meu rosto.

— Sim, isso mesmo. Aqui em cima. Estes são os meus olhos.

Ele se afastou da parede e ficou ereto, pegando o raio solitário que iluminava o corredor. O raio iluminou seu rosto, e eu pude vê-lo claramente, pela primeira vez.

Sério? Não era o que eu estava esperando. Com essa profunda voz rouca e atitude, assumi que encontraria alguém mais velho, provavelmente, vestindo um terno abafado. Mas esse cara era lindo. Jovem e lindo. Vestido totalmente de preto, simples e elegante, ainda que houvesse uma borda afiada na maneira como ele parecia. O cabelo castanho dourado revolto tinha um ar sexy de “Eu não dou a mínima”, mas ainda assim parecia perfeito. Fortes traços masculinos, um queixo quadrado revestido com barba de alguns dias na pele bronzeada, um nariz proeminente reto, e grandes e sexy olhos sonolentos da cor de chocolate, que agora estavam olhando fixamente para mim.

Sem deixar o meu olhar, ele levantou os braços, segurando-os acima da cabeça.

— Você quer verificar-me para ver se tenho rasgos antes de decidir se sou digno de conversar?

Ele era lindo, tudo bem, mas definitivamente um idiota.

— Isso não é necessário. Sua atitude já decidiu isso por mim, e você não é.

Baixando os braços, ele riu.

— Faça como quiser. Tente aproveitar o resto da sua noite, querida.

Eu bufei, mas roubei um último olhar fugaz do belo idiota antes de voltar para o meu encontro.

Martin estava sentado com as mãos cruzadas, quando voltei ao meu lugar à mesa.

— Desculpe — eu disse a ele. — Havia fila.

— Isso me lembra de uma história engraçada. Uma vez, eu estava em um restaurante com a minha mãe, e quando ela foi usar o banheiro das mulheres…

Sua voz desapareceu enquanto eu olhava para o meu telefone, desejando que tocasse. Maldita seja, Jules. Onde está você quando eu realmente preciso? Por volta da metade da história, pelo menos, eu acho que era a metade, notei o idiota do banheiro passando por nossa mesa. Ele sorriu para mim depois de olhar para o meu encontro sem noção e meu rosto desinteressado. Curiosa, segui o seu caminho para ver com quem ele estava aqui.

Imaginei.

Loira tingida, bonita de uma forma vagabunda, com uma quantidade grande de seios saindo de seu vestido decotado. Ela arregalou os olhos para seu encontro quando ele voltou. Eu rolei os meus. No entanto… Eu não podia deixar de olhar para a sua mesa de tempos em tempos.

Quando nossas saladas chegaram, Martin estava falando sobre a apendicectomia recente de sua mãe, e fiquei particularmente aborrecida. Meus olhos devem ter demorado um minuto muito longo, porque o cara do banheiro me pegou olhando para ele. Do outro lado do restaurante, ele piscou, arqueou uma sobrancelha, e inclinou o copo na minha direção.

Idiota.

Desde que eu tinha sido apanhada, por que me preocupar em esconder minha observação? Ele era certamente mais interessante do que o meu encontro. E ele não era tímido ao olhar para mim também. Quando um garçom parou em sua mesa, vi como o bonitão do banheiro apontou na minha direção e falou. Martin ainda estava contando alguma história da mamãezinha querida quando olhei para trás para ver para o que o idiota atraente do outro lado do salão poderia ter sido apontando. Quando me virei para trás, o idiota e seu encontro estavam de pé. Lendo seus lábios, pude entender um pouco o que ele estava dizendo… algo sobre encontrar um velho amigo, eu acho. Então, de repente, eles estavam andando bem em direção à nossa mesa.

Será que ele vai dizer algo para Martin sobre o que ouviu?

— Reese. É você?

Que diabos?

— Umm… sim.

— Uau. Faz muito tempo. — Ele bateu a mão em seu peito. — Sou eu, Chase. — Antes que eu soubesse o que estava acontecendo, o idiota (que aparentemente se chamava Chase) estendeu a mão e agarrou-me em um abraço de urso. Enquanto eu estava em seus braços, ele sussurrou: — Entre no jogo. Vamos tornar a sua noite mais emocionante, querida.

Pasma, eu só podia olhar quando ele voltou sua atenção para Martin, estendendo a mão.

— Eu sou Chase Parker. Reese e eu nos conhecemos no passado.

— Martin Ward. — Meu encontro assentiu.

— Martin, se importa de nos juntarmos a vocês? Faz muitos anos desde que Buttercup e eu nos vimos. Eu adoraria colocar o papo em dia. Você não se importa, não é?

Embora tivesse feito uma pergunta, Chase definitivamente não esperou por uma resposta. Em vez disso, puxou uma cadeira para seu encontro e apresentou-a.

— Esta é Bridget… — Ele olhou para ela, buscando ajuda, e ela preencheu o espaço em branco.

— McDermott. Bridget McDermott. — Ela sorriu, sem se intimidar com o novo encontro duplo ou a incapacidade óbvia de Chase de lembrar seu sobrenome.

Martin, por outro lado, parecia desapontado que a nossa dupla era agora um quarteto, embora eu estivesse certa de que ele nunca iria expressar isso.

Ele olhou para Chase quando ele se sentou.

— Buttercup?

— Era assim que eu costumava chamá-la. Peanut Butter Cup da Reese. Meu doce favorito.

Uma vez que Chase e Bridget estavam sentados, houve um momento de constrangimento. Surpreendentemente, foi Martin quem o quebrou.

— Então, como é que vocês dois se conheceram?

Mesmo que Martin tenha feito a pergunta olhando para nós dois, eu queria deixar claro para Chase que ele era o único na berlinda. Este era o seu joguinho.

— Eu vou deixar Chase informá-lo sobre a primeira vez que nos encontramos. É realmente uma história engraçada, na verdade. — Eu apoiei os cotovelos sobre a mesa e descansei a cabeça em minhas mãos cruzadas, dando toda a minha atenção a Chase ao bater meus cílios com um sorriso malicioso.

Ele não vacilou, nem demorou mais do que alguns segundos para inventar uma história.

— Bem, não foi realmente a primeira vez que nos encontramos a história mais engraçada, mas o que aconteceu depois que nos conhecemos. Meus pais se separaram quando eu estava na oitava série, e eu tive que me transferir para uma nova escola. Eu estava muito infeliz até que eu conheci Reese no ônibus na primeira semana. Ela era a garota bonita fora dos limites, mas eu percebi que eu não tinha amigos para me sacanear se eu a chamasse para um encontro e ela recusasse. Assim, mesmo ela sendo um ano mais velha do que eu, chamei-a para o baile da oitava série. Surpreendeu-me quando ela concordou em ir.

— De qualquer forma, eu era jovem, com uma boa dose de testosterona, e coloquei na cabeça que ela ia ser o meu primeiro beijo. Todos os meus amigos na minha antiga escola já tinha tido o deles, e eu percebi que era a minha hora. Então, quando o baile foi chegando ao fim, puxei Buttercup para fora da decoração de baixa qualidade de balões e porcarias de papel crepom do ginásio e fomos para o corredor procurando um pouco de privacidade. Claro, como era a minha primeira vez, eu não tinha ideia do que esperar. Mas eu fui com tudo. Chegamos lá e comecei a chupar seu rosto.

Chase parou e piscou para mim.

— Foi tudo bem até então, não foi, Buttercup?

Eu não poderia nem mesmo responder. Estava muito chocada ouvindo sua história. Mas, novamente, a minha falta de resposta não pareceu incomodá-lo, porque ele continuou.

— De qualquer forma, aqui é quando a história fica boa. Como eu disse, eu não tinha nenhuma experiência, mas mergulhei com lábios, dentes, língua e tudo. Depois de um minuto, o beijo começou a parecer muito molhado, mas eu estava imerso nele, e assim continuei indo e indo, não querendo ser o primeiro a se afastar. Eventualmente, quando paramos para respirar, literalmente, uma vez que eu quase suguei seu rosto, percebi por que parecia tão molhado. Reese teve uma hemorragia nasal no meio do beijo, e nossos rostos estavam cobertos de manchas de sangue.

Martin e Bridget riram, mas eu estava atordoada demais para reagir.

Chase estendeu a mão e tocou meu braço.

— Vamos, Buttercup. Não fique envergonhada. Esses foram alguns bons momentos que tivemos. Lembra-se?

— Por quanto tempo vocês foram um casal? — perguntou Martin.

Assim que Chase estava prestes a responder, estendi a mão e toquei seu braço da mesma maneira paternalista que ele tocou o meu.

 — Não muito tempo. Logo após o outro incidente, nós terminamos.

Bridget bateu palmas e pulou para cima e para baixo em seu assento como uma criança animada.

— Eu quero ouvir sobre o outro incidente!

— Eu não tenho certeza se realmente devo compartilhá-lo, agora que pensei sobre isso — meditei. — É o primeiro encontro de vocês?

Bridget assentiu.

— Bem, não quero que você assuma que Chase ainda tem o mesmo problema. Passou muito tempo desde o nosso pequeno incidente. — Eu me inclinei para Bridget e sussurrei: — Eles obtêm melhor controle à medida que envelhecem. Geralmente.

Em vez de ficar perturbado, Chase parecia completamente satisfeito com a minha história. Orgulhoso, mesmo. Na verdade, o resto da noite passou praticamente da mesma maneira. Chase contou histórias elaboradas sobre a nossa falsa infância, sem medo de envergonhar-se no processo, e manteve-nos todos divertidos. Às vezes, adicionei algo a suas histórias quando a minha boca não estava aberta com a porcaria que ele tinha inventado.

Eu odiava admitir, mas o idiota tinha começado a me cativar, mesmo quando contou histórias sobre o meu nariz sangrando e o “infeliz incidente do enchimento do sutiã”. Até o final da noite, eu estava pedindo café para impedir a noite de acabar, muito longe da nossa troca de farpas no corredor do banheiro.

Do lado de fora do restaurante, Martin, Chase, e eu entregamos ao manobrista nossos tickets. Eu preferia estar no controle de quando um primeiro encontro começava e terminava, por isso encontrei Martin no restaurante. Claro que Bridget tinha vindo no carro de Chase como em um encontro normal. Ela também estava praticamente esfregando-se contra o seu lado enquanto se agarrava ao seu braço pelo tempo em que esperamos nossos carros. Quando meu brilhante Audi vermelho apareceu primeiro, eu não tinha certeza de como dizer adeus a… bem… nenhum deles. Peguei as chaves e permaneci com a porta aberta.

— Belo carro, Buttercup. — Chase sorriu. — Melhor do que o pedaço de lixo que você dirigia na escola, hein?

Eu ri.

— Eu suponho que sim.

Martin deu um passo adiante.

— Foi bom vê-la, Reese. Espero que possamos fazer isso de novo algum dia.

Em vez de esperar por ele tentar me beijar, dei-lhe um abraço.

— Obrigada pelo agradável jantar, Martin.

Assim que dei um passo atrás, Chase se adiantou e me puxou para um abraço. Ao contrário da amigável batidinha nas costas que eu tinha dado em Martin, Chase me esmagou contra seu corpo. Deus, me senti bem. Então ele fez a coisa mais estranha… Ele prendeu meu cabelo comprido em torno de sua mão algumas vezes e fechou-a em um punho, usando-o para puxar minha cabeça para trás. Seus olhos pousaram nos meus lábios quando eu olhei para ele, e, por um breve segundo, pensei que ele poderia me beijar.

Então ele se inclinou e beijou minha testa.

— Vejo você na reunião do próximo ano?

Eu balancei a cabeça, sentindo-me quase fora de prumo.

— Umm… claro. — Eu olhei para Bridget depois que ele me soltou. — Prazer em conhecê-la, Bridget.

Relutantemente, entrei em meu carro. Sentindo olhos em mim, olhei para cima ao mesmo tempo em que pus o cinto de segurança. Chase me observava atentamente. Parecia que ele queria dizer alguma coisa, mas, depois de alguns instantes, percebi que era estranho sentar e esperar mais.

Respirando fundo, me afastei com um último aceno, perguntando-me por que parecia que eu estava deixando algo importante para trás.

👔

Ai, por um mundo com ChaseLindos nos salvando de encontros ruins. Vou dar uma de Bridget e pedir pra saber mais sobre os incidentes desses dois, já que foi uma verdadeira disputa. Pelo menos, salvou a noite desastrosa da Reese.

Claro que ela foi embora com um gostinho de quero mais, mas nunca imaginou que o encontraria novamente e que ele seria seu novo chefe! 😮

Curiosos pra saber como isso vai se desenrolar? Eu estou. Muito! 😀

👔

Sobre a autora:

Vi Keeland é uma nova-iorquina com três filhos, que ocupam a maior parte de seu tempo livre, do que ela se queixa frequentemente, mas não mudaria por nada no mundo. Ela é advogada e autora best-seller do New York Times, Wall Street Journal, e USA Today. Ao longo dos últimos três anos, onze dos seus títulos estiveram nas listas dos mais vendidos do USA Today e quatro nas listas do New York Times.

Aqui no Brasil, sua série MMA Fighter é sucesso na Editora Charme. A série é composta por três livros, sendo que o último está em pré-venda (show essa série!).

Website | Facebook | Facebook Group |  Twitter | Instagram | Goodreads | Pinterest

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s