Início » Livroterapia » LIVROTERAPIA – Minha Vida Mora ao Lado, de Huntley Fitzpatrick – @EdValentina

LIVROTERAPIA – Minha Vida Mora ao Lado, de Huntley Fitzpatrick – @EdValentina

A resenha de hoje é de um livro que já foi lançado faz um tempo, mas ainda não tinha tido a oportunidade de ler. Quando surgiu o convite da Valentina, para ler o novo livro da autora, Pensei que fosse verdade, resolvi fazer uma dobradinha. E então claro, foi a oportunidade perfeita! 😀

Minha vida mora ao lado foi tão fofo, tão gostoso de ler, que quando terminou, desejei que tivesse uma continuação, uma série, para poder ter mais desses personagens tão cativantes.

Minha Vida Mora ao Lado, de Huntley Fitzpatrick - @EdValentina

“Minha mãe nunca ficou sabendo de uma coisa, algo que ela reprovaria radicalmente: eu observava os Garrett. O tempo todo.”

Os Garrett são tudo que os Reed não são. Barulhentos, caóticos e afetuosos. São de verdade. E, todos os dias, de seu cantinho no telhado, Samantha sonha ser uma deles, ser da família. Até que, numa noite de verão, Jase Garrett vai até lá e…
Quanto mais os adolescentes se aproximam, mais real esse amor genuíno vai se tornando. Contudo, precisam aprender a lidar com as estranhezas e maravilhas do primeiro amor. A família de Jase acolhe Samantha, apesar dela ter que esconder o namorado da própria mãe.
Até que algo terrível acontece, o mundo de Samantha desmorona e ela é repentinamente forçada a tomar uma decisão quase impossível, porém definitiva. A qual família recorrer? Ou, quem sabe, Sam já é madura o bastante para assumir suas próprias escolhas? Será que está pronta para abraçar a vida e encarar desafios?

Quem você estaria disposto a sacrificar pela coisa certa a se fazer? O que você estaria disposto a sacrificar pela verdade?

.

Onde encontrar: Saraiva

Resenha

Quando Samantha ainda era pequena, mudou-se para a casa ao lado, uma família bem diferente da dela: numerosa, barulhenta, bagunceira, desorganizada… Tudo o que sua mãe sempre odiou. Portanto, Samantha cresceu ouvindo reclamações de sua mãe, maníaca por limpeza e organização, sobre a família vizinha e foi instruída, veementemente, a não ter contato, de maneira alguma, com nenhum deles. O que sua mãe não imagina é que com essa proibição, Sam adquiriu uma verdadeira fascinação por essa, até então, “estranha” família.

Do alto de seu telhado, Sam, agora com 17 anos, acompanha a vida dos Garrett de forma discreta, sem que ninguém saiba. Após uma noite bem atípica em sua casa, onde ela descobre que sua mãe, toda certinha, que está tentando se reeleger a deputada, está namorando seu assessor, muitos nos mais novo, a garota, como de costume, para se distrair, vai até o telhado e é surpreendida por um dos Garrett.

Jase sobe até o telhado e, como se conhecessem há anos – o que não deixa de ser, pelo menos da parte de Sam – , os dois trocam conversas e a garota se vê desabafando sobre o assunto que a aborreceu mais cedo… Os dois acabam nutrindo uma amizade e passam a se encontrar frequentemente, mesmo Sam sabendo sobre as regras aplicadas em casa.

Jase é diferente de todos os garotos que Samatha já conheceu. Ele é fofo, educado e autêntico. Com uma família numerosa, ele aprendeu a ser responsável e muito maduro para sua idade. Somado a tudo isso, o modo como ele trata a menina faz toda a diferença, o que torna fácil se apaixonar por ele. Te entendo, Sam! 😀

Contratada pelos Garrett para ser babá dos pequenos, dado seu carinho e atenção com George, Sam é acolhida por toda a família e passa a conviver com eles todos os dias. Logo, o romance entre os dois adolescentes ocorre de forma natural.

Com uma vida ditada às regras e cheia de aparências, a garota, como toda adolescente, precisa conviver com vários conflitos, como drogas, sexo, amizades, separações e problemas dentro de casa, o que a leva a enxergar nos Garrett, principalmente em Jase, uma forma de escape.

Como é que o meu mundo e o dos Garrett tinham limites tão bem definidos até este verão e agora eles não param de se interligar?

Ao descobrir que existe um mundo diferente do que ela vive, Sam se vê ainda mais envolvida com os vizinhos e, quando algo de muito grave acontece e seu mundo desmorona, a garota vai precisar ser madura o bastante para tomar uma drástica decisão, que pode afetar e muito a vida de todos a sua volta.

Quem você estaria disposto a sacrificar pela coisa certa a se fazer? O que você estaria disposto a sacrificar pela verdade?

Um livro intenso e muito bem escrito. A autora soube moldar muito bem essa maturidade de Jase. Esse atrativo foi bem marcante e deu um rumo certo à história. Além disso, é notório também o amadurecimento de Sam ao longo da história. O modo como os dois lidam com determinadas situações que vão aparecendo ao longo do livro é muito bonito de acompanhar.

Por que você não pensou que, já que era o seu mundo, já que tinha que lidar com isso, talvez eu me importasse o bastante para querer que fosse o meu mundo também? 

O jeito como os Garrett abraçam Samantha é emocionante. Por mais que a menina tenha o amor da mãe e da irmã – ao modo delas, claro -, é fácil entender o porquê dela se envolver tanto com seus vizinhos, porque, honestamente, se eu tivesse vizinhos assim, pode ter certeza que eu também me apaixonaria por cada um… ❤

Quero abrir um parêntese aqui para falar sobre o George, que merece todo o destaque. Eu adoro livros com crianças, já comentei com vocês e, nesse livro, gente, tem um rapazinho de 4 anos, falante toda a vida, que roubou a cena. George deu um toque especial ao livro e ganhou meu coração. ❤

A autora teve uma sacada de mestre ao introduzir crianças aos seus livros, que mesmo secundários, ganharam todo o destaque merecido, deixando o livro mais delicado e engraçado. Aliás, todos os personagens secundários são de uma importância sem fim. A forma como eles foram introduzidos, a interação da Samantha com eles, fazendo que se tornassem importantes e não mero coadjuvantes foi muito bacana.

Eu realmente amei essa história. Perfeita! O único ponto negativo que eu diria, foi com relação ao desfecho. Houve uma situação com Sam e sua melhor amiga que ficou em aberto e acho que merecia uma explicação, algo que nos mostrasse que ficou tudo bem, sabe? Mas fora isso, Huntley Fitzpatrick, ganhou uma fã. Já quero ler tudo dela e soube até que ela já lançou um livro sobre a Alice, irmã de Jase. Valentina, querida, nunca te pedi nada, então por favor, traz esse livro para o Brasil! #carinhadepidona ❤

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s